Atrasar contas de propósito?

Muitas vezes quando escrevo por aqui sou “acusado” de viver em mundo de fantasias em que tudo funciona, em que o ser humano é leal e vive nas regras, e, admito, boa parte dessa crítica é verdade, mas há coisas que são simplesmente inegociáveis, e, atrasar contas de propósito é uma delas.

No livro “Dobre Seus Lucros” de Bob Fifer em sua etapa 37, traz uma receita de como melhorar o seu caixa rapidamente, e a dica é: atrase contas propositalmente, só pague quando cobrado por pelo menos duas vezes.

Faz uns bons anos que administro empresa, impostos, salários, benefícios, férias, décimo terceiro, aluguel, limpeza, equipamentos, etc, etc, etc. Tudo isso não vem de graça. Tudo isso só é pago quando recebemos dos nossos clientes. Simples assim.

Se eu não recebo quando há previsão de recebimento. Perdi as contas do número de vezes que eu e meus sócios, Boby e Hallana ficamos sem receber para honrar compromissos. Quantas vezes deixamos de aumentar salários ou contratar mais pessoas porque o “a receber” era muito grande destruindo o planejamento.

Sempre que, compro algo, principalmente de empresas menores, lembro que, assim como minha empresa, essa também tem todos os compromissos para saudar, toda uma cadeia para sustentar, então, só compro se de fato posso pagar.

Ok, vão me dizer que o fluxo de caixa isso, que o caixa saudável aquilo, mas, desculpe, não vão me convencer. Para mim, as pessoas são mais importantes.

Ah, e antes que falem sobre grandes empresas, bancos que já prevem uma perda em seus balanços e tal, o livro não fala sobre isso, fala sobre o seu fornecedor de cadeira, cartucho de impressora ou sei lá o que mais.

Então, com a devida vênia, e ainda imerso no meu mundo utópico, esse capítulo do livro é simplesmente uma afronta ao que viver em sociedade significa. Não levo, não vou e convido aos demais a não levarem a sério.