Polêmico? Sim, mas vamos lá!

Você pode ou não falar tudo aquilo que pensa? Em teoria, pode. Mas não deve! Em Curitiba, por exemplo, houve pelo terceiro ano consecutivo a proibição da marcha da maconha, os idealizadores da marcha agora vão promover a marcha da Liberdade de Expressão. Tema espinhoso, mas vamos lá!

Drogas, tem gente que usa, tem gente que não usa. Tem gente que vicia, tem gente que não vicia. Recentemente o ex-presidente Fernando Henrique afirmou que era a favor da liberação. Liberdade de expressão? Sim. Proibir a marcha é contra a liberdade de expressão? Acho que sim também, mas vamos lá!

Drogas: somente as pessoas que já tiveram em suas famílias pessoas dependentes químicas podem opinar sobre o tema. Famílias e mais famílias destruídas pelo vício. Famílias que viram a maconha servir apenas de porta de entrada para o crack, cocaína e daí para crimes é um pulo. Qualquer tipo de propaganda das drogas deveria ser proibida, sim também, mas vamos lá!

Dizia minha mãe que de boas intenções o inferno pavimentou suas ruas. Não seria a proibição dessa marcha em nome de um bem maior um pouco dessa pavimentação? Ao abrir a exceção de uma marcha contra a maconha não estaríamos abrindo mão de outras “opiniões”? Hoje não se pode falar sobre a maconha, amanhã não se poderá protestar a favor ou contra a pena de morte, no outro dia quem sabe se proibirão as manifestações contra a corrupção.

Entendo como justa a preocupação da sociedade contra o uso indiscriminado das drogas. Entendo e concordo com o potencial destrutivo delas. Mas acredito ainda mais na justiça social e na educação das escolas e em casa como forma de combater as drogas do que formar simplistas de censura que incitam o proibido e afasta da mesa um debate sério sobre este e outros temas.

4 thoughts on “Polêmico? Sim, mas vamos lá!

  1. Lamentável, um golpe à democracia e liberdade de expressão. Não se pode mais sair às ruas pedindo mudanças na lei?
    Quem promove isto é a bancada evangélica com seu lobby eles querem impor sua “moralidade” para a população inteira.

  2. Em tese, como vc falou, eles tem direito à manifestação, porém como sabemos da maconha para outras drogas é um pulo, entrando no mundo da criminalidade para sustentar seu vício. O que eu acho que deveria ocorrer como já havia comentado com vc, é um olhar mais duro da sociedade em relação aos usuários, visto que, hoje em dia a sociedade está menos rígida quanto a isso, e também teríamos de combater o tráfico com medidas mais enérgicas, e quem sabe começar uma discussão se usuário também deveria cumprir pena, já que comprou e consumiu algo ilícito no país

  3. Boa noite, tambem sou totalmente contra a censura que traz junto a represao,mas vc dizer que: “Famílias que viram a maconha servir apenas de porta de entrada para o crack, cocaína e daí para crimes é um pulo.” Seria um absurdo concordar com vc ate mesmo porque sao efeito totalmente diferentes a maconha é tranquilizante e o crack acelera,ninguem que fuma manconha vai fumar crack porque fumou maconha,fica na paz!
    Obs:assista o documentario “Cortina de Fumaça”

  4. bom nao concordo totalmento com vc so quero deixar um comentario.
    lei de 2006 11.343 que de certa forma despenaliza o uso da maconha individual , Poremmm a uma grande contradição pois a uma lei que te permite fumar a maconha mais nao te permite cultivar a proria e de certa forma associa as pessoas que cultivam a traficantes quando muitas não são, nao gostei de quando vc vincula a maconha como porta de entrada para outras drogas mais pesadas, quando na verdade quem fornece as “outras drogas” são os memos que fornecem a maconha criando assim um vinculo entre maconha – traficante – drogas mais pesadas etç.
    se tal usuario pudesse de forma plantar sua erva, nao teria motivos para se envolveren com drogas mais pesadas ,porem sempre uma menoria escolhe usar drogas pesadas e isso pode ser provado estatisticamente quando apenas 20%dos usuarios de maconha e adaptos a cultura canabica parão de fumar maconha e partem para drogas mais pesadas, por esses e por muitos outros assuntos nao concordo com ou como voce pensa ou se expressa.

    Hugo Murbach

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *