Já chegamos ao mundo de Mad Max

ImpalaAttackEstava com o texto prontinho na minha cabeça, já tinha começo, meio, fim e título, ele era: “O que está acontecendo conosco”, mas aí, repensei e me acho no meio de uma dúvida: sempre fomos assim ou nos tornamos isso?

2014 tem sido um ano absurdo para o ser humano, nós parecemos ter esquecido exatamente o que nos diferencia dos animais, parece que nos esquecemos que existem leis, esquecemos que a outra pessoa é tão humana, boa ou má quando ela. O mundo se chocou, e com razão, com as decapitações que estão acontecendo no Iraque. Aqui no Brasil, o ditado “se correr o bicho pega se ficar o bicho come” nunca foi tão real.

Decapitações em presídios, aos montes, justiça com as próprias mãos em quantidade sem precedente desde a lei do talião, mortes do estado, aquelas geradas pelas forças policiais, cada vez mais comuns.

Esta semana, no Brasil, ficamos estarrecidos com decapitações em Cascavel, um camelô em São Paulo foi morto por um PM por motivo fútil, no interior de São Paulo, um fazendeiro achou que era um boa ideia cortar as duas mãos de um pedreiro porque este, supostamente, estava roubando animais de sua propriedade. O pedreiro, que agora perdeu sua profissão disse que vinha da missa e só estava pegando esterco para plantação. Faz diferença? Há um motivo realmente bom para a brutalidade?

O que está acontecendo com a humanidade? Sempre fomos assim? Nos tornamos assim? Será que a vida alheia realmente perdeu todo e qualquer valor para a gente? Também em São Paulo, dois rapazes usando capacete mataram uma mulher e atiraram nos dois filhos por conta de uma bolsa. No Rio de Janeiro, a mãe e o filho de 2 anos morreram, pois ao roubarem o carro da vítima os assaltante arremessaram ambos com o carro em movimento.

Será que a vida alheia realmente perdeu o valor? O que podemos fazer para recuperar?

Conversando com amigos de diferentes crenças tenho ouvido diferentes opiniões que vão desde “tem que morrer mesmo” a “falta Deus no coração”.  Na minha opinião, o que falta mesmo é punição e humanidade. Entendo que enquanto a população não entender que a justiça está a disposição de todos, que um roubo será investigado e punido, esse tipo de coisa continuará a acontecer. Isso não muda a nossa pergunta inicial: o que está acontecendo conosco?

No clássico do cinema mundial, Mad Max a lei vigente é a do mais forte. Ao assistirmos o filme aquela realidade nos parecia absolutamente fantasiosa, distante e quase absurda. Será que o mundo de Mad Max  finalmente saiu das telas e chegou até nós?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *